Natural de Cuiabá, Mato Grosso, a jornalista Gisele Gontijo, formada pela FEMA de Assis, iniciou sua carreira como apresentadora e repórter em canais locais de Bauru, interior de São Paulo.
Logo, a profissional foi descoberta por um diretor da Band e convidada suceder a apresentadora do programa “Super Útil” que na época deixava o canal.
Como titular no comando da atração desde 17 de março de 2008, Gisele viu sua carreira se consolidar, ficando a quase 10 anos a frente do “Super Útil”.

Em 2017, após decisão da rede, o “Super útil” passou a se chamar “Band Mulher”, seguindo o padrão das demais emissoras Band.

Em entrevista exclusiva ao TVeMais, a apresentadora falou sobre sua carreira e seu desligamento do programa.
TVeMais: Você foi a escolhida para substituir a antiga apresentadora em um programa que já era consolidado. O Que te fez não desistir?
Gisele Gontijo: “O meu ex marido fez com que eu não desistisse. Eu chegava todos os dias no hotel onde fiquei no começo, e ele falava ‘não desiste, vai dar certo’.
Se não fosse ele durante esse um, dois meses que foram os mais críticos onde eu só chorava, eu tinha desistido, eu confesso pra você. Então eu devo a ele, a minha não desistência.”
TVeMais: Como foi pra você mudar de cidade e enfrentar esse desafio?
Gisele Gontijo: “Eu digo que fui muito ousada e corajosa. Eu era inexperiente, tinha apenas 10 meses de formada! E assim, é completamente diferente você estar em uma tv interna e fazer um programa ao vivo para metade do estado de São Paulo… ter que fazer merchandising… Eu digo que foi a experiência mais desafiadora que eu tive na minha vida. Sofri muito no começo porque as pessoas me rejeitavam. tanto os meus colegas de trabalho quanto o público; porque antes tinha uma pessoa muito querida, então fui conquistando aos poucos cada pessoa, cada telespectador, cada colega de trabalho. Foi uma batalha diária. Eu sofri muito, tinha vontade de vir embora. Foi uma experiência única. Alegre e sofredora, porque eu sofri muito.”
TVeMais: Você se arrepende em algum momento de ter aceito o desafio?
Gisele Gontijo: “Não me arrependo em nenhum momento. Foram dias de conquistas, degrau por degrau, e eu sai de la com o dever cumprido”.


Gisele comentou ainda sobre o desafio de após 10 anos mudar o nome do programa.
Gisele Gontijo: “O meu antigo diretor chegou e falou que a partir de segunda o programa iria chamar Band Mulher. Eu fiquei chocada, eu falei ‘meu deus, é o fim do programa […] Mas confesso que cuspi no prato que comi, porque o programa foi um sucesso”
TVeMais: Você ainda tem contato com os profissionais de lá?
Gisele Gontijo: “Eu conto nos dedos as pessoas que me ligaram para saber como eu estou, se eu preciso de um abraço. Pessoas que eu convivi 10 anos da minha vida! Ficava mais lá do que na minha própria casa […] A grande maioria, 95% não ligou para saber se eu precisava de um abraço.”
Questionada sobre novos projetos, Gisele disse à nossa equipe que logo trará novidades!


Conforme já noticiado pelo TVeMais, recentemente, a apresentadora foi desligada do programa que apresentava a mais de 10 anos. 
Sobre seu desligamento, Gisele contou a nossa equipe que não teve oportunidade de se despedir, e segundo ordens da direção, nada deveria ser comentado pela nova apresentadora, e por conta disso resolveu se pronunciar em suas redes sociais.

Foto: Reprodução Facebook

Segundo uma fonte ligada ao TVeMais, a Band não quer comentar sobre o assunto, mas nos bastidores comenta-se sobre um corte de gastos. A fonte contou ainda que a nova apresentadora já estava sendo testada para substituir Gisele.
Entramos em contato com a Band a fim de saber o real motivo desse desligamento repentino, mas até a publicação dessa matéria não obtivemos retorno.