waack
Divulgação/CNN

A CNN Brasil sabia que contratar William Waack, demitido da Globo por racismo, era um passo arriscado, uma vez que sua carreira estava fadada a ser lembrada pelo seu comentário preconceituoso.

Acontece que, mesmo sabendo disso, Waack chegou ao canal a cabo ostentando o posto de medalhão, com direito a horário nobre e muita pompa. Talvez a CNN não imaginava que o “deslize” de uma de suas maiores estrelas seria relembrado tão cedo.

Após o início das manifestações por conta do assassinato de George Floyd, o canal de notícias começou uma cobertura que se estendeu por todos os seus programas, inclusive o Jornal da CNN, apresentado por Waack.

Logo o assunto começou a pipocar no Twitter e muita gente condenou a atitude da CNN em pôr o jornalista para opinar num caso como o de Floyd.

E as críticas não ficaram só na internet. Durante uma participação no CNN 360, a ex-consulesa da França no Brasil, Alexandra Loras criticou Waack e pediu à CNN Brasil que pusesse pessoas com propriedade no assunto para comentarem: